segunda-feira, 18 de maio de 2015

...Katana...

A guerra continua.
O som dos tambores transcende os ouvidos, penetram pela pele e chegam ao coração.
Feras e sombras de olhos vermelhos como sangue espreitam e rugem como trovões.
Em minhas mãos uma espada longa de aço brilhante, cravado em seu metal “esperança”, ao meu lado apenas a coragem para continuar, o desejo de vencer.
Cada passo, olhar, respirar remete a profunda concentração, uma esperança e incerteza a corroer a alma.
Ao menor sinal de movimento do inimigo, reluz o fio da lamina, uma cabeça ao chão e tudo parece acontecer ao mesmo tempo desencadeando novas investidas ferozes.  A lâmina da espada movia-se como se possuísse vida, rápida, sedenta, retalhando, girando e relampejando em uma dança fria de aço, sangue e morte.

Correndo e golpeando, girando e saltando para mais uma vez brandir a espada, as sombras e suas feras, uma a uma vem ao encontro de seus destinos. Uma a uma caem em sono eterno.

Nenhum comentário :