Mostrando postagens com marcador Aos que Admiro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Aos que Admiro. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

...Quinto dia de exposição dos pintores com a boca e com os pés - Luciano Alves...

No quinto dia de nossa exposição, venho apresentar um grande amigo com um talento maior ainda, abaixo confira sua história e suas obras de arte.

Filho único, Luciano Oliveira Alves do Nascimento, morador do Rio de Janeiro, ficou tetraplégico, aos 15 anos, devido a um acidente na praia do Arpoador no dia 12 de janeiro de 2002.
Deu entrada no CTI do hospital Miguel Couto desenganado pelos médicos, mas apesar do diagnóstico, Luciano teve uma melhora clínica surpreendente. No mesmo dia em que saiu de alta do hospital foi para ABBR (Associação brasileira beneficente de reabilitação) onde ficou internado a princípio para reabilitação.
Posteriormente passou a frequentar a instituição duas vezes por semana para continuar o tratamento. Foi um período de conhecimento sobre sua condição, aprendizado com experiências de outras pessoas, readaptação dos seus hábitos, fisioterapia e busca de adaptações que o tornaram mais independente dentro de suas limitações.
A arte surgiu na vida de Luciano Alves de forma rápida, intensa e despretensiosa. Após uma oração a Deus e em meio a um processo de reconhecimento pessoal, enveredou pela pintura, caminho até então desconhecido.
As telas do pintor retratam natureza, infância, cotidiano, esportes, paisagens, além do recente estudo de figuras humanas que o artista tem se dedicado. Admirador da obra de Van Gogh possui tendência às cores quentes, dando um ar tropical à obra.
Em 2003, realizou sua primeira exposição. No ano seguinte aceitou o desafio de fazer uma demonstração de pintura ao vivo, no SESC - Ramos, que lhe rendeu muitos convites para exposições em diversos lugares do Brasil.
No mesmo ano, conheceu a Associação de Pintores com Boca e os Pés - APBP. Enviou alguns trabalhos para a curadoria, na Suíça, e no início de 2005, já fazia parte do grupo seleto de pintores que a Associação incentiva através de uma bolsa de estudos.
A arte abriu um novo horizonte para Luciano. Participante de palestras de motivação, inclusão e acessibilidade, ele ajuda pessoas a resgatarem seu valor enquanto seres humanos, usando como parâmetro a própria vivência. Ele ensina, entre outras coisas, que o deficiente precisa olhar por cima, além do foco, além do problema para só assim compreender tudo o que é capaz de fazer.
As obras do artista já foram expostas em vários países do mundo e em outubro de 2009, Luciano fez sua primeira viagem internacional para participar de Worksshops de pinturas no hotel Hilton e expor no Museu Eduardo Sívori - Buenos Aires / Argentina –no primeiro encontro de artistas da sul-americanos da APBP.
Em 2012, Luciano concluiu o curso de jornalismo, na Faculdades Integradas Hélio Alonso – FACHA. Foi trabalhar como analista de comunicação na ABBR e no seguinte tornou-se o coordenador de comunicação da Associação Brasileira de futebol em cadeira de rodas – ABFC. 
Atualmente, Luciano está concluindo um MBA em administração de marketing e comunicação empresarial. Continua expondo, ministrando palestras e é ativista na causa da pessoa com deficiência.

Todos os direitos autorais são reservados à Associação dos Pintores com a Boca e os Pés





Veja mais em nosso Facebook: https://www.facebook.com/vidadetetra/?fref=ts

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

...Com sua arte Kazê impressiona, quarto dia de exposição dos pintores da APBP...

Tive a honra de conhecer este brilhante artista pessoalmente.
De alma livre, suas pinturas impressionam, em nosso quarto dia de exposições conheçam o Kazê...

Carlos Eduardo Rosa Fraga (Kazê)
42 anos


Um amigo meu que já faz parte da associação de pintores com a boca e os pés, me convidou para fazer parte da mesma.

 Eu disse que nunca tinha pintado nada nem com as mãos, com a boca então seria muito mais difícil...

Mas como gosto de desafios, aceitei fazer uma experiência; pintei um pôr-do-sol, que todos falavam que parecia mais um ovo frito. Fiquei seis meses sem pintar. Até que conversando com uma amiga, que é uma excelente pintora, se ofereceu para me dar aulas. Aceitei na hora. Com sua ajuda pintei os seis quadros necessários para mandar para a associação, na Suíça, para ser avaliado. Um ano depois recebo o telefonema dizendo que fui aceito. Fiquei muito emocionado com essa notícia maravilhosa.

 Tenho muito orgulho de fazer parte da APBP, e continuo fazendo cursos para me aprimorar cada vez mais na arte de pintar.

Nascido em 08 de março de 1973, no Rio de Janeiro/RJ. Ficou tetraplégico aos 18 anos em um
acidente onde um carro desgovernado o atingiu. Adora viver as coisas simples da vida, sempre que pode aprecia o pôr-do-sol, que por sinal foi uma de suas primeiras telas. Tem muita força, sonhos e projetos pessoais a serem realizados.

Ana Pintando
60 x 80
Óleo sobre madeira

Dupla realidade
30 x 40
Acrílico sobre Tela

Vida Saudável
30 x 40
Acrílico sobre Tela






Veja mais em nosso Facebook: https://www.facebook.com/vidadetetra/?fref=ts

segunda-feira, 2 de junho de 2014

...Vejo Vozes...

         Sigo buscando esperanças, mas desta vez ela veio a mim.
        Quando vejo pessoas dedicadas em servir a vida, em ver o ser humano com a grandeza que é inerente a cada um de nós, meu coração sorrir!
         Vejo vozes, um projeto que vale a pena de divulgar, de contemplar, de se viver.
         Sigo buscando esperanças, mas esta, Deus guiou a mim!
         Obrigado!