Mostrando postagens com marcador Reflexões. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Reflexões. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 2 de julho de 2018

...Carta de uma estrela...


Em meio a dor, em um pequeno mundo distante o vi.
Resistia de pé como um valente.
E mesmo se viesse a cair, tornavas a se erguer.
Reunindo suas forças, enfrentando mais um dia.
Via e sentia seu coração, que insistentemente dizia: um passo.
E tornava a repetir:  apenas mais um passo.
Transbordando coragem, transcendendo limites.
Encantaste as estrelas com tua luz.
E ousadia em voar em seus próprios sonhos.

Hoje choras, não vê saída.
Os dias se tornam fugazes.
E as datas somem, dissolvem.
Deixando o vazio tomar a alma.
Permitindo o silêncio prevalecer.

Lembra-te de quem és.
Aguarde o tempo dos anjos.
Aos poucos tornar-se-á um.
Pois a mim chamaste.

Dê-me um nome.
Aquele que habita o mais profundo do seu ser.

De todas as estrelas do céu e espíritos da terra, o escolhi
Não hesite diante da destruição
E nem tema a morte

Assim sejas minha alma
Que serei tua vida
Sejas meu coração
Que serei tua força
Sejas meus sonhos
Que serei tua

Eu sou tua estrela
Aquela que o amarás
Aquela que o protegerás
Tua escuridão
Tua luz
Tua salvação
Tua cruz...

Pois, por todos os tempos viajei
Contemplando o alvorecer e o crepúsculo de cada universo esperando você.
Encontro-me em teus olhos
E através deles vejo meu futuro
Onde há batalhas
Lágrimas
Dor
Mas também sorrisos
Esperanças
Amor

Assim insisto em dizer: Sou tua estrela e eu te guiarei
Iluminando a escuridão
Transcendendo a razão
De encontro à emoção
Pois escolheste-me e assim te escolhi
Tua estrela, teu coração.


segunda-feira, 14 de maio de 2018

...Música Triste...

Poderia correr até encontrar
Através do tempo, sobre o mar
Queria fugir
Ultrapassando a escuridão, entre as estrelas
Buscando a próxima vida
Esperando a visita da própria esperança
Às vezes não sei como cheguei a isso
Pois o que é um guerreiro sem a vontade de lutar?
Apenas o sol sem ter o que iluminar
Volto a fugir, no mais profundo de minha mente
Enterrando as lágrimas em meu coração
Pois quem vivia sob as asas de seu sonho hoje mal caminha em teu pesar
Quanto mais terei de aguardar?
Pois enfim tenho uma promessa a cumprir
Trilhando este caminho sem fim
Tornando-me quem sou
Através da dor
Encontro o que é verdadeiramente importante
Das orações, o louvor.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

...O que eu sou?...

Eu sou humano.
Eu sou homem, eu sou mulher.
Eu sou humano.
Eu sou branco, sou negro, sou índio e sou asiático.
Eu sou humano.
Eu sou da Europa, da África, da Ásia e da América.
Eu sou humano.
Eu acredito em Deus, acredito em Iemanjá e acredito em Buda.
Eu sou humano.
Eu gosto de matemática, português, história e biologia.
Eu sou humano.
Eu sou capitalista, sou comunista e sou anarquista.
Eu sou humano.
Eu tenho habilidade de falar com pessoas, de construir coisas e de classificar diversos seres.
Eu sou humano.
Eu tenho tatuagens, pinto meu cabelo e uso piercings. Contudo, eu também não gosto dessas coisas.
Eu sou humano.
Eu planejo todo o meu futuro. Mas também gosto de viver um dia de cada vez.
Eu sou humano.
Apesar de todas as minhas diferenças, eu não deixo de ser humano.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

...Asas de papel...



Do alto podia ver, em um breve voo sobre asas de papel
Lágrimas lançadas ao mar, inundando, levando gritos que sumiam entre as correntezas.
Arrastando tudo ao nada, manchando cores, silenciando vozes
Sombras seguiam famintas a devorar sonhos e medos, sob um céu avermelhado
Levando, tragando suas vítimas, que outrora podiam sorrir.
Entre ruinas em chamas, o tempo tornava a dor maior
E o frio feria como faca, um olhar que só tinha a oferecer suas orações vazias
Piados de uma pequena ave a clamar por um qualquer que pudesse ajudar
Voando o mais rápido que suas asas rasgadas permitiam
Enfrentando o fato de que ali nada poderia fazer
Lutando contra tudo que lhe dizia estar errado
Que assim se mataria, que assim a morte o levaria também
Teimava como em um ato de fé, arriscando seu futuro quebrado, alegria fugaz, sonhos queimados, vida incapaz, alma rompida.
Sempre soube que não haveria nada a fazer, mas acreditar e ir até o fim fosse o certo, tudo que poderia ser feito
Em meio à chuva e o mar, que se tornara rio, invadindo e destruindo tudo em seu caminho.
Pois para continuar respirando e tendo a última e única forma de acreditar, todo o fim e feridas ainda fossem necessárias.
Uma única alma alada a tentar resistir à destruição.

sexta-feira, 30 de março de 2018

...Esforço...


Muitos não entendem o significado desta palavra, enquanto outros são exemplos vivos. Há diversos níveis de esforço, e este leva muitos mais longe em sua corrida da vida. Há ainda aqueles que o possuem em altos níveis, mas devido à pressão externa
são sufocados. Mas o que define o esforço, em sua forma mais simples, é lutar contra um mundo inteiro e ainda assim buscar forças para vencer.



segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

...Brilho e sons...

Sonhar, no manto do céu, viajar
Seguindo as estrelas refletidas no mar
Que o tempo além da ilusão traga a reflexão
O tempo de saber que querer é poder
Quem sabe então ouvir a voz que ecoa em meu coração?
Das estrelas do céu às conchas do mar
Ouvir o som que me faça sonhar
Para que a voz ecoe pelo céu 

E, em um simples olhar, preencha com tinta o papel.




...Segundo desafio poético...

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

...Saudade e ilusão...


Viver adoçando os lábios com o sabor do amor
Transformando lamentos em sonhos
Lembranças em joias
Ouvindo a triste melodia da solidão
Um ritmo, o bater de meu coração
A chamar, gritar, acelerar
Ilusão fugaz, tento dizer
Em cada amanhecer
Em cada anoitecer
Mas meus olhos só refletem você
Liberdade perdida
Voou em minha mente a te procurar
Sem jamais encontrar
O brilho que um dia foi meu
Sussurro que se perdeu
Quem sou eu?
Estrela sem céu
Um borrão negro no papel
A espalhar, me falta o ar
Não, não posso explicar
Agora, apenas chorar
Pois sem você não tenho chão
Calor ou emoção
Preso na escuridão por tanto tempo
Sem um alento
Apenas um velho conhecido

Desespero, sofrimento

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

...Como encontrar minha paz...

Será que no som das águas
No canto dos pássaros
Ao ver as nuvens
Contemplar a lua
Deitar-me à sombra de uma árvore e sentir a grama a me tocar
Aonde reside a paz?
Em meu coração?
Em minha mente?
Meu espírito?
Sinto-me perdido ao relento
Em meio à densas neblinas, separando-me do que é real
Esperando que o horizonte se abra e revele aquele lugar favorito
Onde as rosas ascendem imitando o mais belo brilho das estrelas
E o manto da noite a cobrir-me sorrindo e permitindo que os sonhos venham.
Ainda busco a minha paz
A natureza que me faz ser quem sou
De encontro em um belo vôo, o céu azul
E vendo de cima todo o resplendor do meu jardim
Preciso de você, pequeno paraíso
Onde as folhas de cerejeira cobrem o chão e deixam um cobertor branco e rosa
Um lugar que só eu posso ir, onde até as águas me cumprimentam
E um bom dia eterno vem como a brisa
Meu pequeno paraíso, protegido por fortes rochas
Adornado por belas flores
E que ao longe pode se ver picos de neve
Meu pequeno paraíso, perdoe-me por estar tanto tempo longe.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

...Um doce filme, amargo veneno...

Tantos dizem que um filme passa em frente aos seus olhos quando a hora chega
Sem minha hora chegar, tantas vezes já vi o filme de minha vida.
Quantas vezes, quantos filmes, quantas vidas ainda verei, ainda terei?
Segue o silêncio, em um sutil flutuar por mares e brisas de imaginação
Onde a realidade, feito uma canção, não pode ser tocada.
E na ilusão, tornando-se real, a dor brande e desnuda o véu
A hora chega, de mais uma vez ver aquele filme, doce ilusão sofrida
Algo que não posso evitar.
Mas quem sabe, desta vez seja apenas mais um filme de uma vida sem propósito?
Pois o propósito que quero não é o mesmo que o destino teima em empurrar em meus braços
Vivo o conflito de largar ou abraçar aquilo que cada vez faz menos sentido
Tantos se perguntam o que é certo ou errado, mas eu apenas quero saber qual será o momento de mais uma vez ver o filme de minha vida.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

...Vai saber...

Em que estrada se encontra o destino?
Passa pelo tempo?
Transcende pela vida?
Submerge na existência?
Ultrapassa a dor?
Busca o conhecimento?
Descobre o bem?
Lançam-se contra o mal?
Aceita sem questionar?
Observa sem interferir?
Suporta sem gritar?
Luta até o fim?
Ou apenas alcança um novo ser?
Compreender a força que todos temos, onde o saber se torna uma arma, onde o viver a esperança. 
Frases incoerentes, momentos de sabedoria, sem saber ou apenas sabendo que tudo ou nada apenas completa a imensidão extravagante de querer forjar suas escolhas e conduzir seu futuro.


segunda-feira, 26 de junho de 2017

...Às vezes tento entender...

É estranho viver em um mundo onde a dor e a vitória acompanham-no como grandes amigas
Suas lágrimas tornam-se a estrada e o único destino leva-o à morte
Cada passo traz consigo a ternura de uma esmagadora solidão
E a culpa o atormenta gentilmente, como se o veneno deixasse um gosto doce em seus lábios
Você implora por forças mesmo ao ver toda escuridão envolvê-lo
A carne triturada já não suporta as tentativas de se mover
Com a mente reduzida a retalhos até o futuro parece dizer adeus
Restando o vazio onde seus gritos se perdem
Neste mundo só restou você
Uma fera cansada demais para lutar
 Vagando entre árvores sem vida
 Desejando que o sono consuma-o e transforme as mentiras em um pesadelo

Pois apenas um momento diferente em sua vida tornou-o fantasma de si mesmo

segunda-feira, 5 de junho de 2017

...Ferraria, ferreiro, forja...

Como vidro o metal se quebrou
Tantos fragmentos que não pude contar
Talvez a ausência de batalhas
Talvez o tempo de paz
Mas ser feliz para aqueles que brandem a espada

Não passa de ilusão
Assim, tornam a forja
Pois o mesmo martelo que quebra o vidro, forja o aço
Queimando, aquecendo a ponto do metal tornar-se laranja
Tento, com todas as forças e a pouca sabedoria, que lutei para ter em mim
Unir novamente o metal
O martelo bate
A forja aquece
As runas que haviam na espada somem
Tudo ao zero, tudo do zero
E mesmo com o maior cuidado que posso ter, ainda me queimo
Espero pacientemente o metal tomar forma
Aquecendo e esfriando
Esfriando e tornando a aquecer
Como qualquer guerreiro me lembrei
Mesmo assim, ainda só
Em meu caminho, em minhas batalhas
Não durará muito
Pois aqueles olhos rajados, viram me buscar
Apresso-me a forjar a única arma que tenho
Reparando meu coração
E às vezes sinto que sacrificando, mesmo que seja um pouco, minha alma
Não posso perder
Não devo perder
Não vou perder
Tomo para mim a responsabilidade
De reforjar
E mais uma vez ir de encontro
Àqueles olhos rajados
Não há outro caminho, mais uma vez, serei eu ou ele.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

...Aonde o ser humano quer chegar?...



Recentemente aconteceu uma tragédia em uma das cidades históricas de Minas Gerais. Acredito que todos saibam, mas, de acordo com as primeiras informações dadas por meios de comunicações uma represa de detritos de minérios rompeu repentinamente, causando um desastre ambiental sem igual em nosso país. Sem contar com as vidas perdidas e lares que jamais serão recuperados.
Às vezes me pergunto onde o ser humano quer chegar, com atitudes mesquinhas baseadas em pura ganância e desleixo com a vida e meio ambiente.
Entre as notícias aterrorizantes funcionários que trabalhavam no local contaram que por volta das 04h30minh sentiram como se fosse um terremoto, e assim começou uma enxurrada de lama misturada com detritos de minério soterrou casas no Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais.
Para a conclusão desta notícia conduzida pelos meios de comunicações apenas quero ressaltar que a estimativa é que o estrago ambiental foi maior do que o demonstrado, sendo que outras localidades podem ter sido afetadas atingindo cerca de duas mil pessoas, até então levemente contabilizado.


                Conclusões pessoais: Posso esta falando besteira, mas como mineiro me sinto aterrorizado com uma notícia desse porte, sabendo que até houve fiscalização, no entanto, será que a mesmas foi ou teve seus procedimentos realizados corretamente, será que poucos receberam a famosa propina para que fizessem vista grossa, será que mesmo constatando as falhas algo poderia ser feito para escoar ou aliviar a tensão sobre aquela barragem? Será? Será?
                Acho que agora ficam no ar apenas o será. Perguntas que jamais serão respondidas, afinal muitos acreditam e outros sabem que neste meios nem tudo que reluz é ouro.
                No entanto, mesmo não podendo devolver as vidas perdidas, recuperar a fauna e ou trazer de volta os lares violentados por ambições desenfreadas. Ainda podemos fazer muito, exercitando o coração e tornando a palavra ser humano algo real e físico, fazendo doações que possam ser dirigidas aquele povo tão sofrido e ainda sim, guerreiro.  Não entrarei no mérito ou demérito de dizer o que deve e o que eles precisam, as coisas básicas são óbvias, mas entre todas a mais importante com certeza seria a água.
                Outra coisa que me revoltou, além é claro de boatos aos quais não sei se são verdadeiros, mas saber que pessoas se aproveitaram para vender este líquido tão precioso e que mantém a vida em nosso planeta por custos maiores para aqueles que acabaram de perder tudo, foi o estrago ambiental.
                Faz quase um ano que venho escutando que o próximo verão será o mais quente das últimas décadas e ele já está às portas. Não sei se muitos já pensaram sobre isso, mas um estrago desta magnitude apenas comprava o quanto estamos preocupados com a natureza. Por ações assim não é difícil imaginar o porquê o planeta continua a aquecer-se e desequilibra-se.
                Apenas sei que é tarde de mais para chorar sobre o leite derramado, arregaçar as mangas e travar um bom combate é o caminho daqui pra frente.
                Não há mais como nos escondermos da responsabilidade, ou admitimos que somos humanos, cometemos erros sim, porém podemos também consertá-los, e agir em pró da nossa família humana.
                É hora de solidarizar-se, ajudar, doar, e construir os passos de um mundo melhor.


(autor da imagem desconhecido)
 
Tomara que algum dia tudo volte a ser como era antes.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

...Uma Estrela Chamada Amor...

Aguardo a Lua e a chuva
O momento só meu
Onde o som da minha voz ecoará por todos os lugares
Fazendo você me ouvir
De joelhos ao chão
E com mãos apertadas, dedos de encontro às palmas, como em soco
O mais forte que eu puder
Nesse momento a liberdade se fará presente
A noite voltará a ser estrelada
E a chuva voltará a lavar minha alma
Um tempo onde as respostas não passarão de um singelo sorriso
E mais uma vez gritarei
Um urro que só será compreendido por ti
Você que observa cada passo
Você que vê por trás de cada lágrima
Mas que crer!
Sei que esse momento chegará
Onde a dor não se prenderá mais ao meu corpo
E o impossível alcançarei com a ponta dos meus dedos
Por isso mantenho a fé
A coragem de não desistir
Por está ilusão que transformo em sonho e será minha realidade
Neste dia você responderá
Fazendo soar a sua voz de trovão
Iluminando o céu
Com relâmpagos, uma, duas, dez vezes
Em nossa secreta comemoração
Brindando a vida
O crescer
O despertar
Que viajará em cada vida
Propagando-se como uma onda
No tempo que jamais se esquecerá
Da guerra que passou
Hoje ainda é tempo de lágrimas, mas a cada dia
Quebro as correntes que me cercam, que me atam
Em um sussurro de confiança
Em você que cultuo como o amor
E com a força deste amor,
Vencerei.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

...Sinto Falta...

Sinto falta de sorrir
Sinto falta de sonhar
Sinto falta de chorar
Um sorriso sincero, que não apenas esconda a dor
Sonhos que me façam transcender nuvens e viver
Lágrimas que levam consigo toda a solidão
Sempre pergunto o porquê?
Se a liberdade já me foi tomada
E só restou desejos perdidos
Um tormento eterno
Ilusões de um deserto sem fim
Acorrentado
Busco a saída
E ainda que me veja a arrastar por um chão frio e sujo
Sigo
Ouço a chuva
A alma gritar
E torno a buscar
O direito de sorrir
A força para sonhar

E a coragem de enfim poder chorar

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

...Perdão...

Busco o perdão em mim
Sigo em frente
Sem nunca olhar para trás
E como o mar sereno
Aguardo o brilho do luar
Meu milagre
Uma razão
Elevando ao céu
Além das nuvens
Minhas orações
A gratidão do viver
Flor branca que se enraíza
Profundamente na alma
Lembrando uma vez mais
A esperança nascente
De um novo amanhã
Por isso luto
E mesmo pelos vales de sombras
Posso sorrir
Superando a solidão
Ultrapassando a ilusão
Em busca do perdão

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

...Passos...

Meus olhos bem abertos visam o caminho
Armadilhas, desafios, barreiras a superar
Um destino a enfrentar
Será que conseguirei, será que merecerei
As respostas soltas ao ar
Sempre mais perguntas a me confrontar
Apenas sei que não desistirei
Apenas sei que lutarei
 Só assim o mundo faz sentido
Só através das minhas lágrimas
Eu encontro a paz
Neste caminho, evoluir, crescer
Nada foi escolhido, apenas imposto
Mesmo assim, é tudo o que sempre quis
Viver para aprender

E vivendo alcançarei quem realmente sou.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

...Outono...

Vejo as folhas secas a rolar pelo quintal
Empurradas pelo vento
Sem destino certo
Apenas seguindo sua natureza
Seguindo seu ritmo
Quebradiças são levadas umas contra as outras
Contra as árvores
E com brisas mais fortes, contra elas mesmas
O mover chega a hipnotizar
A refletir
Rogar que pouco pareça com meu coração
Estas folhas já sem forças
Folhas sem destino
São guiadas ao desconhecido
Folhas sem alma
Folhas sem fé
Como os jardins de corações solitários
Jardins de lamentos

Outono de folhas caídas

segunda-feira, 27 de julho de 2015

...Natais Passados...

Fincando as raízes ao chão alcanço o céu
Encontrando em lágrimas a seiva da vida
Grande carvalho, árvore do tempo
Ampulheta perdida, dona dos milagres
Despertando em si o infinito

No fim, apenas mais um fantasma de natais passados

segunda-feira, 8 de junho de 2015

...Filho do Sol, Lar entre as Estrelas...

Mais uma vez me levanto contra a dor
Um amante da vida, defensor do meu caminho
Um filho do sol
Transcendendo o desespero
Em busca da luz
De um novo dia
Não desistirei
Me transformarei mil vezes se assim for preciso
Tendo minhas lágrimas como lembranças de batalhas vencidas
Seguirei
Atravessando o fogo
Com a esperança que escutem minha voz
E mesmo em meio a escuridão
Não temerei
Pois mais densa já foste esta floresta
E mais altos os obstáculos
Nada me impede de voar
E como quem sou, olharei somente para frente
À
espera que todas as estrelas se lancem do céu
Tornando-se um lar, meu lar