segunda-feira, 24 de agosto de 2015

...Passos...

Meus olhos bem abertos visam o caminho
Armadilhas, desafios, barreiras a superar
Um destino a enfrentar
Será que conseguirei, será que merecerei
As respostas soltas ao ar
Sempre mais perguntas a me confrontar
Apenas sei que não desistirei
Apenas sei que lutarei
 Só assim o mundo faz sentido
Só através das minhas lágrimas
Eu encontro a paz
Neste caminho, evoluir, crescer
Nada foi escolhido, apenas imposto
Mesmo assim, é tudo o que sempre quis
Viver para aprender

E vivendo alcançarei quem realmente sou.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

...Outono...

Vejo as folhas secas a rolar pelo quintal
Empurradas pelo vento
Sem destino certo
Apenas seguindo sua natureza
Seguindo seu ritmo
Quebradiças são levadas umas contra as outras
Contra as árvores
E com brisas mais fortes, contra elas mesmas
O mover chega a hipnotizar
A refletir
Rogar que pouco pareça com meu coração
Estas folhas já sem forças
Folhas sem destino
São guiadas ao desconhecido
Folhas sem alma
Folhas sem fé
Como os jardins de corações solitários
Jardins de lamentos

Outono de folhas caídas

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

...O Fantasma da Ópera...

Uma sombra, um anjo, uma voz na escuridão
Ouço este sussurro em meu coração
Esta voz de gelar a alma convida-me a um sonho
Será que é só um sonho?
Um doce sonho?
Ou um fantasma que canta melodias de morte?
Enfrente a este espelho vejo tua face
Um espirito que canta
A alma da musica que ressoa em mim
Seguindo o sopro gélido vejo-me enfeitiçado
De mente e alma arrebatados apenas enxergo a máscara
Apenas canto
E em um encanto me perco em sua voz

Nesta fantasia em minha mente

segunda-feira, 27 de julho de 2015

...Natais Passados...

Fincando as raízes ao chão alcanço o céu
Encontrando em lágrimas a seiva da vida
Grande carvalho, árvore do tempo
Ampulheta perdida, dona dos milagres
Despertando em si o infinito

No fim, apenas mais um fantasma de natais passados