segunda-feira, 25 de maio de 2015

...Magia...

Em volta da fogueira passos, laços, cores, amores
Ao som de sinos, encantos são declamados ao luar
Magia e mistério, canções, corações
Dança a cigana embalada pelo frio da terra
Sua face aquece ao dourar do fogo
Inspirando o frescor do ar
Seguida pelo balé das flores
Iluminada ao sereno prateando a pele
Colorindo a noite
Um sortilégio
Um dom
O guiar da vida

Prazer em sonhar

segunda-feira, 18 de maio de 2015

...Katana...

A guerra continua.
O som dos tambores transcende os ouvidos, penetram pela pele e chegam ao coração.
Feras e sombras de olhos vermelhos como sangue espreitam e rugem como trovões.
Em minhas mãos uma espada longa de aço brilhante, cravado em seu metal “esperança”, ao meu lado apenas a coragem para continuar, o desejo de vencer.
Cada passo, olhar, respirar remete a profunda concentração, uma esperança e incerteza a corroer a alma.
Ao menor sinal de movimento do inimigo, reluz o fio da lamina, uma cabeça ao chão e tudo parece acontecer ao mesmo tempo desencadeando novas investidas ferozes.  A lâmina da espada movia-se como se possuísse vida, rápida, sedenta, retalhando, girando e relampejando em uma dança fria de aço, sangue e morte.

Correndo e golpeando, girando e saltando para mais uma vez brandir a espada, as sombras e suas feras, uma a uma vem ao encontro de seus destinos. Uma a uma caem em sono eterno.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

...Entender...

Imóvel sobre uma colina vejo o vento passar
Ondulações sob o manto verde
Formas esbranquiçadas ao céu
O ouro nascente posto no horizonte
Suspiro divino que inspira e expira esta alegria do viver
Pois hoje aprendi, sou rocha, imóvel perante a dor, paciente em busca da sabedoria
Sou grama, verde festejam-te em mais um dia de crescimento
Eterna nuvem transformando formas em arte me tornou
Num calmo ir e vim de acordo com a maré
De acordo com o renascer do sol

segunda-feira, 4 de maio de 2015

...Em Cada Ser um Paraíso...

Encontrei um paraíso de árvores frondosas e flores douradas
Lugar que ainda existe dor, mas não é o centro da vida
A chuva purifica
O vento trás consigo a canção dos anjos
Um louvor de vida
Onde corações puros possam descansar
Em meio à luz e ao perdão
Um lar que como o oceano abriga, protege e enche de esperanças
Um paraíso para nós dois
Um paraíso para todos nós
Vive no pensar, na maneira de olhar
Na capacidade de transformar
Em fazer de cada céu um paraíso.

Em cada paraíso um ser.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

...Conto das Estrelas...

Encontro nos livros, vida
Um sentido para renascer
Um alento do meu viver
Estórias que como o frio, envolve, arrepia, gela a alma
Estórias de coragem, faróis a aquecer meu ser
Amo escrever
Sonhar
Trilhar este caminho do saber
Aprender que não passamos de mais um dos contos do infinito
Almas cantantes
Esperanças eternas
Eternas luzes
Em um bocejo
O conto de ninar das estrelas