segunda-feira, 29 de abril de 2013

...Crescimento...



Devemos julgar, condenar, corromper o incorruptível e  beneficiarmos de uma suposta glória. Esquecendo que há alguém que nos observa não para julgar, mas sim tentando apontar para o verdadeiro caminho.

Hoje posso perceber, após anos abaixando a cabeça e as orelhas escutando e aprendendo, hoje posso perceber. A linha limite entre sabedoria e ignorância passa apenas pelo amor. Amor, capacidade de se colocar sob a pele, a visão e a audição dos próximos.
Próximos, todos aqueles que compartilham o céu, o ar, e o calor do Sol, ou seja todos aqueles que nas veias correm o precioso líquido que trás a vida.

Tolice é achar que apenas uma verdade é absoluta, tolice é encontrar motivos para odiar, tolice é menosprezar sangue de nosso sangue. Fomos feitos daquele que não conhece limites daquele que apenas reconhece o amor e como sua natureza divina não permite fazer criações falhas ouso dizer que somos perfeitos, perfeitos quando nos negamos e ajudamos aqueles que precisam, perfeitos quando deixamos a boca serrada quando não há nada de bom para falar, perfeitos como quando acima de nós mesmo perdoamos, perseveramos e voltamos a confiar naqueles que apenas sabem bater.

Perdoai aqueles que não se perdoam, amei aquele que ninguém ama, orai pelos que não pedem orações, entendeis que não estais sozinhos no mundo.

Não julgues para não ser julgado.

Olhais o céu e saiba que acima das nuvens recebe-se amor e não punições

Todos dizem que do céu nada cai, como a maior parte de sua sabedoria tola, o povo não tem razão. Do céu cai água, água que alimenta a Terra, terra que brota os frutos, frutos que dão longevidade aos homens.
 Os homens não escolhem o que cada semente dará, mas escolhe qual semente quer plantar.

Nenhum comentário :